Iges ou Step? Qual usar?

Uma das maiores dúvidas entre os usuários de CAD 3D é saber em que formato enviar modelos a seus fornecedores ou clientes que não utilizam o mesmo software.

Antes de mais nada, o que são Iges e Step?

São padrões neutros criados para a troca de arquivos entre sistemas de CAD/CAM diferentes.

Esses padrões permitem que um usuário de Creo envie modelos a usuários de SolidWorks, por exemplo. Não vamos entrar no mérito de que alguns CAD 3D podem abrir arquivos nativos de outros CAD, pois normalmente esse recurso não está disponível nos pacotes mais básicos desses sistemas.

O padão Iges é mais antigo, sua primeira versão foi lançada em 1980. Apesar de algumas revisões terem sido feitas ao longo do tempo, o padrão não possui suporte a muitas características ou informações presentes em modelos 3D modernos, o que é uma desvantagem.

Outra desvantagem, é que os softwares de CAD tendem a abrir modelos em Iges como modelos em superfícies e com muitos “gaps” (espações entre superfícies adjacentes).

Uma vantagem do Iges, como ele foi criado em uma época que o CAD 2D dominava o mercado, ele é muito bom para troca de desenhos 2D. Mas isso é quase irrelevante porque todo software de CAD, seja 2D ou 3D, tem a capacidade de salvar e abrir desenhos 2D em DWG ou DXF.

Já o Step (ISO 10303) é um formato mais moderno e com maior suporte a modelos 3D. Suas primeiras versões foram lançadas em 1994 e 1995 e em 2014 foi liberada sua mais nova revisão. Isso faz com que o padrão esteja sempre atualizado ás novas necessidades do mercado CAD.

O formato pode armazenar diversos parâmetros do modelo, como material, cor utilizada, entre muitos outros

A minha dica é simples: Dê preferência ao Step. Mas e quem vai receber não especificar qual é a sua preferência ou se não houver limitações com o tamanho de anexos em emails, envie o modelo nos dois formatos.